Filha de Eduardo Cunha e candidata a deputada federal recebe 2 milhões do MDB para custear campanha

Como no Brasil tudo pode, agora é a vez do ex-deputado federal cassado Eduardo Cunha (MDB-RJ) dar o ar de sua graça, mesmo da cadeia. Preso desde outubro de 2016 em Curitiba, o ex-presidente da Câmara prepara sua sucessora em Brasília, a publicitária Danielle Dytz Cunha, sua filha mais velha. Estreante nas urnas, Danielle lidera a disputa pelos recursos públicos do fundo eleitoral entre os 19 candidatos a deputado federal pelo partido no Rio de Janeiro.

A filha de Cunha já recebeu R$ 2 milhões do diretório estadual do MDB, conforme registros parciais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O valor é próximo do teto de R$ 2,5 milhões que um candidato à Câmara pode gastar neste ano. Além disso, ela ganhou R$ 7 mil de uma doadora identificada como Ângela Célia Souza Vilhena, que fez o repasse na condição de pessoa física – a legislação atual proíbe o financiamento empresarial de campanhas.

Até a noite desta segunda-feira (10), a candidata havia declarado gastos de campanha que totalizaram R$ 58.154,00. Desse valor, R$ 35.450,00 foram destinados à produção ou aquisição de adesivos e outros 15.885,00 para material impresso.

Os repasses a Danielle superam as doações feitas aos quatro emedebistas que concorrem à reeleição pelo estado. Três deles receberam, cada, R$ 1,5 milhão do partido até o momento. Celso Jacob, nenhum centavo.

Veja o vídeo da candidata:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *