Projeto Ler, Escrever e Pensar é concluído em quatro municípios

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) realizou, no período de 6 a 8 de novembro, a premiação dos alunos que participaram do projeto “Ler, Escrever e Pensar: conscientizar para transformar”, nas cidades de Amarante do Maranhão, Senador La Rocque, Carolina e João Lisboa. No total, 24 estudantes do 9° ano e do ensino médio foram premiados no concurso de redação do projeto.

A iniciativa propõe discutir o tema da corrupção nas escolas públicas. Este ano, o livro adotado foi “O que faz o brasil, Brasil?”, do autor Roberto DaMatta.

Idealizadora da ação,  a promotora de justiça de João Lisboa, Maria José Lopes Corrêa, nos eventos, agradeceu a todas as instituições de ensino, professores e alunos que se envolveram no projeto. Ela declarou que a participação da comunidade escolar foi fundamental para o sucesso das ações. “Nós agradecemos a todos pelo envolvimento, pelo empenho, pelas discussões. Por saber que tanta gente vai sair daqui com esta vitória, que é a consciência  para agir corretamente e cobrar das instituições lisura e transparência para, então, transformar a realidade do nosso país”, ressaltou.

O diretor da Secretaria para Assuntos Institucionais, Marco Antonio Santos Amorim, representou o procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, nas solenidades. Em seu pronunciamento, interagiu com os jovens e frisou que a expressão “ter sucesso na vida” vai além dos salários altos. Explicou que o êxito consiste em ter um objetivo de vida e alcançá-lo com dignidade. “Se você quer ser um professor, um médico, um advogado, um enfermeiro, o seu único concorrente é você. Não importa se você mora em uma capital ou na menor cidade do país. Pela educação, você pode tudo”, argumentou o promotor de justiça.

Representantes do Poder Judiciário e Legislativo; das secretarias Estadual e Municipais de Educação; Polícia Militar; Igrejas Católica e Evangélica; alunos e professores das escolas participantes também prestigiaram os eventos nos municípios.

AMARANTE DO MARANHÃO

Em Amarante do Maranhão, o evento foi realizado no dia 6 de novembro, no Centro de Ensino Dilson Funaro.

Na ocasião, o promotor de justiça titular da comarca, Eduardo André de Aguiar, explicou o que significa a expressão ‘jeitinho brasileiro’ e destacou os pequenos atos de corrupção no dia a dia. Ele também informou que, só no município de Amarante do Maranhão, foram distribuídos mais de 900 exemplares do livro “O que faz o Brasil, Brasil”.

Em seu discurso, Eduardo Aguiar citou exemplos de como a corrupção atinge diretamente a vida da população. “Por causa da corrupção, a merenda escolar não é suficiente para todas as crianças; as obras públicas se perdem porque não são concluídas no prazo; faltam remédios nos postos de saúde. E tantas outras coisas deixam de ser realizadas ou ofertadas para uso público por causa do dinheiro desviado”, pontuou.

Pelo 9ª ano, ganharam em primeiro, segundo e terceiro lugar, respectivamente: Nohamy de Sousa Paiva Reys, Joenilson da Silva Jardim e Rodrigo Soares da Silva. Do ensino médio, foram contemplados com o primeiro, segundo e terceiro lugar Lorena Sâmia Miranda de Sousa, Mirelly de Sousa Roque e Victória Lima de Carvalho.

SENADOR LA ROCQUE

Na tarde do dia 6 de novembro, a premiação do “Ler, Escrever e Pensar: conscientizar para transformar” foi realizada em Senador La Rocque, no salão paroquial da Igreja Matriz.

Durante o evento, o promotor de justiça titular da comarca, Edson de Miranda, destacou a importância do acompanhamento familiar no desenvolvimento da criança e criticou o excesso do uso de aparelhos eletrônicos. “A presença dos pais, o seu interesse pela rotina do filho são fundamentais. Mas, infelizmente, vemos que hoje os pais dedicam mais tempo aos aparelhos eletrônicos que aos filhos. Como ensinar o que é certo e errado se não temos tempo para nossas crianças? E como as crianças seguem o exemplo dos pais, elas começam a participar desse mundo virtual cada vez mais cedo”.

Do 9º ano foram vencedores com o primeiro, segundo e terceiro lugares: Amanda Maérica da S. Guimarães, Cilene Silva Santos e Patrícia de Araújo Pereira. Do ensino médio, ficaram em primeiro, segundo e terceiro lugares: Welia Kayonaria Lima Silva, Bárbara Mariana Passos, Cidileia de Sousa.

CAROLINA

Na manhã do dia 7 de novembro, a premiação aconteceu no município de Carolina, na Igreja Central Assembleia de Deus.

Durante o evento, o promotor de justiça titular da comarca, Marco Túlio Rodrigues, mostrou os diversos trabalhos realizados pelos estudantes nas escolas. Além das redações, vídeos, peças de teatro, músicas, paródias, dentre outras atividades foram alvo da temática da campanha para conscientizar os jovens do combate à corrupção.

“Estou orgulhoso dos alunos que se engajaram nas atividades para discutir a temática. Espero que todos aqui possam buscar um futuro melhor e esse caminho passa, necessariamente, pela educação”, afirmou.

Pelo 9ª ano, ganharam em primeiro, segundo e terceiro lugares, respectivamente: Thaís Morais dos Santos, Patrícia Silva Sousa e Alandelonson Salustino Ferreira. Do ensino médio, o primeiro, segundo e terceiro lugar foram: Camila Rocha de Sousa, Flávio Moreira de Araújo Júnior e Milena Santos Valadares.

JOÃO LISBOA

Na manhã do dia 8 de novembro, foi a vez dos estudantes de João Lisboa serem premiados. O evento foi realizado na quadra poliesportiva Genival Bezerra.

A coordenadora do projeto, promotora de justiça Maria José Lopes Corrêa, depois de agradecer o empenho de todos os envolvidos, destacou a importância da parceria entre instituições para a obtenção dos resultados com a implementação desse trabalho. “Precisamos que o cidadão brasileiro compreenda que a corrupção em nível político e governamental é um reflexo do que acontece em nossa sociedade, no cotidiano da grande maioria das pessoas”

Ela ressaltou que o Ministério Público desenvolve atividades de combate à corrupção em todas as frentes, da mesma forma que procura as vias judiciais para punição de administradores corruptos e a restituição de verbas ao erário. “O MPMA  atua de forma preventiva ao levar o cidadão à reflexão sobre os mecanismos de que dispõe para alcançar esse objetivo, dentre eles a prática cotidiana da honestidade”, enfatizou a promotora Maria José Lopes Corrêa.

Pelo 9ª ano, ganharam em primeiro, segundo e terceiro lugares: Nallyja Fernanda Simplício Barbosa, Mirian da Silva Meneis, Antonio Sanyel. Do ensino médio, o primeiro, segundo e terceiro lugar foram: Sanny Emanuely Silva Leal, Caio dos Santos Sousa e Maria Gabriela Sales da Silva. O projeto vai premiar ainda mais cidades no Maranhão até dezembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *